Felicidade, dúvidas e apelos: veja como foi o primeiro dia de ônibus gratuito em Mariana

O Mais Minas foi até as ruas de Mariana para acompanhar de perto o primeiro dia de Tarifa Zero

por Rômulo Giacomin Soares
Publicado: Atualizado:

O dia 1º de fevereiro de 2022 ficará marcado para os marianenses como a data em que puderam entrar no ônibus, passar pela catraca e chegar até o seu destino sem pagar nenhum centavo. Esse é o projeto “Tarifa Zero”, que está em caráter experimental e vai permanecer, pelo menos, pelos próximos seis meses em Mariana.

Felicidade, dúvidas e apelos: veja como foi o primeiro dia de ônibus gratuito em Mariana
Crédito: Rodolpho Bohrer/Mais Minas

Para inaugurar o projeto inovador, o prefeito interino de Mariana, Juliano Duarte (Cidadania), idealizador do programa, esteve presente no primeiro ônibus gratuito que circulou na cidade. O chefe do poder Executivo municipal contou para o Mais Minas como foi, ouça:

Juliano Duarte, prefeito interino de Mariana

Para elaborar o projeto, Juliano Duarte visitou Caeté, onde o “Tarifa Zero” já tinha êxito. Porém, Mariana contempla uma demanda maior no transporte coletivo. Portanto, são 13 linhas distritais, 13 na sede, além de oito veículos de reserva, totalizando em 34 ônibus.

“Eu fui conhecer o serviço em Caeté, conversei com o prefeito e a população e vi que realmente teve um retorno muito positivo lá. Mas Caeté são poucas linhas de ônibus, comparando com Mariana. Fui na empresa, vi todos os ônibus e varamos a madrugada plotando os ônibus, porque todos são devidamente identificados na frente, na lateral e atrás”, disse o perfeito interino ao MM.

O Mais Minas foi até as ruas de Mariana para acompanhar de perto o primeiro dia de ônibus gratuito na cidade. Além disso, a reportagem ouviu os usuários do transporte coletivo marianense para saber o que acharam da novidade.

Palavra dos moradores

Monique Reis é moradora do bairro Cabanas, onde terá ônibus a cada 15 minutos, segundo o projeto. Veja o que ela falou sobre o “Tarifa Zero”:

Adilson Bernardo, outro morador do bairro Cabanas, se mostrou receoso quanto ao ônibus de graça, mas aprovou o projeto neste primeiro dia. Ele ainda lembrou das dificuldades que muitos brasileiros vivem atualmente para manter uma boa alimentação nas suas casas, devido aos altos preços dos alimentos.

O MM também conversou com alguns moradores dos distritos de Mariana, que também serão contemplados com o projeto. Alice da Silva é moradora de Passagem de Mariana e vende salgados na sede. Ela conta que costuma andar muito a pé, o que causa desgaste para o seu trabalho diário. O efeito do ônibus gratuito, segundo ela, será positivo também para suas vendas. “Agora eu posso vir para cá tranquila, descansando e posso vender de ônibus. Vai ajudar muito no meu trabalho”, conta.

Alice da Silva
Alice da Silva é moradora de Passagem de Mariana

Para quem trabalha na iniciativa privada, o “Tarifa Zero” pode contribuir para um possível aumento no salário líquido, já que, com o ônibus de graça, as empresas não têm necessidade de fornecer o vale-transporte. Marcos Vinícius é da Bahia, mas mora em Mariana, e relata que a gratuidade no transporte coletivo o ajudará a ganhar a vida na Primaz de Minas.

“Vim da Bahia para Minas Gerais e o ‘buzu’ está ‘naquele pique’. Vim aqui trabalhar, levar o progresso para a Bahia e, felizmente, aqui em Mariana o negócio é bom. Agora eu posso guardar mais dinheiro, não vou gastar com passagem, é bom e posso até ter um reajuste no meu salário”, disse.

João Batista é de Passagem de Mariana e gostou da iniciativa do “Tarifa Zero”, mas nem por isso deixou de dar uma bronca na administração municipal. Ele cobra medidas do governo municipal mais flexíveis de prevenção à Covid-19 e pede atenção quanto às estradas que ficaram interditadas por conta das chuvas. Veja:

Não gostou!

Apesar da ousadia, o “Tarifa Zero” não teve aprovação unânime pelos usuários do ônibus em Mariana. Antônio Terra de Oliveira nasceu na cidade vizinha, Ouro Preto, mas mora no distrito de Passagem de Mariana, localizado entre as duas cidades. Para ele, o ônibus gratuito será compensado no valor dos impostos cobrados no município.

Outro homem que passava pelo ponto de ônibus na rua Salvador Furtado, ao lado do bar “Du Ponto”, que não quis se identificar, abordou a nossa redação e apenas disse apenas uma curiosa frase sobre o “Tarifa Zero”, se referindo ao prefeito, autor do projeto, e aos vereadores que aprovaram a lei na Câmara Municipal. Veja:

“São 15 doidos. Um de entrar com o projeto e 14 de votar, já falei isso na Câmara”

Antônio Pereira

Os moradores de Antônio Pereira, distrito de Ouro Preto, fizeram um apelo para a adminsitração pública. Isso porque não há linha disponível da sede ouro-pretana para a comunidade. Assim, para quem é de Antônio Pereira, é preciso ir até Mariana para chegar até a Cidade Patrimônio.

Mesmo tendo apenas a linha Antônio Pereira a Mariana, o “Tarifa Zero” não contempla o trajeto. Por isso, alguns moradores ficaram na bronca, pedindo para que sejam incluídos no projeto.

“Estamos no aguardo, seria ótimo para nós, porque a passagem está R$ 4,80. Para nós de Antônio Pereira é mais viável vir para Mariana, por uma questão de distância, Ouro Preto está muito longe”, disse Sabrina Soares.

Noeme de Lima também é de Antônio Pereira e também pede que o Tarifa Zero abranja o distrito de Ouro Preto, devido à praticidade e a proximidade.

Noeme de Lima é moradora de Antonio Pereira

“Se é um direito, para todo mundo tem que ser igual. Antônio Pereira está ali, uai. É igual a distância para o bairro Cabanas. Mas é bom para o povo daqui (de Mariana)”, disse Noeme, que ainda protesta sobre a falta de emprego na região. “Deveria dar mais trabalho para o povo, ao invés de deixá-los andar de graça. Tem muitos jovens, pais e mães de família desempregados. Geralmente, quando vem alguma firma, já traz o pessoal completo e os daqui ficam desempregados”.

Superlotação

Durante a experiência do Mais Minas nas ruas e pontos de ônibus em Mariana, a redação notou que vários ônibus estavam superlotados, principalmente a linha do bairro Cabanas. Sabrina Soares também teve a mesma percepção e fez o alerta para a prefeitura, principalmente durante este tempo de crescente nos casos de Covid-19.

Sérgio Eduardo Martins é de Catas Altas, mas estava em Mariana a trabalho. Ele adotou a cautela ao falar sobre o projeto, já que ainda está muito cedo para ter algum diagnóstico, mas ele também teve a percepção de que os ônibus estão lotados e questiona se há transporte gratuito o suficiente para atender a todos na cidade.

Assim foi o primeiro dia de ônibus gratuito em Mariana. Há muitas dúvidas se haverá ônibus o suficiente para atender a população, se a prefeitura conseguirá bancar o projeto durante os seis meses previstos e se os veículos estarão em bom estado de funcionamento. Daqui um mês a redação do MM retornará à cidade Primaz de Minas para saber como está o transporte e quais são os diagnósticos dos usuários do transporte coletivo.

Veja vídeos do ônibus funcionando de graça em Mariana: